quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Cinematerapia

«Os irmãos Lumière não foram os inventores do cinema. Na verdade o cinema tem a idade do homem pois cada um de nós possui nosso cinema interno onde projectamos nossos filmes, que são os nossos sonhos.»

Cheia de dramas, situações pitorescas e momentos de suspense, a vida daria um filme. Mas, muitas vezes, a sensação é de que ela já foi filmada – e é a nossa história que está a ser representada na tela.

Um personagem pode ser bastante inspirador por expressar coisas que você sente, mas para as quais não encontra palavras. Por essa razão, os filmes ajudam a tratar problemas psicológicos. Ver um filme pode ser mais do que entretenimento. Pode ser um verdadeiro processo terapêutico.

O conceito de ‘cinematerapia’ nasceu nos EUA há mais de uma década e tem vindo a espalhar-se pela Europa. Os especialistas alertam que nenhum trauma é ultrapassado apenas com uma ida ao cinema, mas com o devido acompanhamento psicoterapêutico, pode ser uma preciosa ajuda para resolver problemas psicológicos.

A explicação é simples: os filmes são detonadores de emoções.

Existem listas de filmes catalogados como se de medicamentos se tratassem. “Erin Brockovich”, de Steven Soderbergh com Julia Roberts, é um dos filmes mais recomendados a quem quer ganhar confiança em si próprio.

1 comentário:

eduardo j. s. honorato disse...

Parabéns pelo artigo. Muito bom!
Sou psícólogo e psicanalista e desenvolvo um site voltado para a cinematerapia.
http://www.cinematerapia.psc.br

abs